domingo, 5 de agosto de 2007

Pesquisando... pesquisando....

Ultimamente tenho dedicado boa parte do meu tempo ao samba, mas que natural afinal trabalho com esse gênero musical. O que ocorre é que muita coisa tem me intrigado quando me refiro ao samba nas Minas Gerais. Há de fato uma grande efervescência na capital, muitas casas noturnas hoje tem uma programação específica para contempla-lo, são inúmeros os grupos de samba que vem se apresentando, e é claro que devemos enfatizar os trabalhos autorais que alguns grupos vem desenpenhando. Mas por hora, quero agora comentar sobre minha pesquisa que de certa forma foi concebida através das reflexões sobre o que ando vendo do movimento do samba em BH. Comecei a questionar alguns parceiros e grupos sobre o que sabiam do samba hoje praticado no interior mineiro. Fiquei pasma, praticamente quase todos não tinham conhecimento de nada ou se tinham é porque "ouviu alguém falar". Estamos mesmo participando de uma cena "ativa de fato"? Os mesmos grupos tocando nos mesmos lugares, sem a mínima conexão com o que anda sendo feito no interior, tudo muito engessado, cômodo. Isso não serve, não combina com o samba. Diante também desse fato, resolvi colocar a mochila nas costas e correr por essas Minas Gerais pra entender um pouco do que os sambistas estão fazendo por aí. No dia 29 de julho, desembarquei na cidade de Uberlândia - Triângulo Mineiro. Fui recebina por Luiz Carica diga-se de passagem uma grande figura. Ele faz parte de um movimento cultural denominado "Eterna Chama", o qual realiza um trabalho de pesquisa da história do samba em nível nacional e também dedica esforços na exaltação das raízes deste gênero em Uberlândia. Outro nome do movimento a ser citado, Rodrigo Santiago, um grande pesquisador, músico e compositor. Tive a oportunidade de ve-los tocar em um evento na Universidade e foi muito bom. E foi uma pena não poder assistir ao evento principal do grupo, que acontece todo o terceiro sábado do mês. A famosa "Arena do Samba", onde o grupo apresenta os clássicos do samba, composições próprias e é claro muito samba de partido alto versado e improvisado ao vivo, numa bela roda de samba. Percebi que tanto o Carica quanto o Rodrigo, também andam antenados para a produção musical das Minas Gerais.. E a velha guarda de samba de Uberlândia?? A coisa mais fofa que já vi. Agora tenho que rasgar seda mesmo. Pelo que vi, os meninos dão total apoio a eles, é bonito de se ver! Inclusive tem composição do grupo homenageando a velha guarda.
Rodrigo e Carica tem planos de vir a BH no final do mês de agosto Estarei aqui para recebe-los e também conduzi-los a alguns sambas.
Enfim, minha viagem continua, agora o próximo destino é Barbacena.

Até!!

5 comentários:

Rodrigo Santiago disse...

Salve Aline Calixto!
Foi um prazer recebê-la em nosso terreiro e nosso samba ficou mais colorido com sua linda voz!
Bendito seja o Sambalaio Mineiro!!
Axé...

Cristiana Brandão disse...

Quero muito ver seu show na Stereoteca.

Fred disse...

Aline, curti bastante os seus comentários sobre o atual momento do samba em BH. Como pesquisadora e atenta à evolução desse gênero musical, você deve saber que quando um "estilo" ou um "costume" entra, de fato, na moda, há sempre algo de negativo, mas também de positivo. O fato do samba estar na programação de várias casas noturnas da Capital e estar tocando, como nunca, em rádios da cidade, ajuda a disseminar e propagar o gênero, tornando-o acessível aos mais "desatentos", aqueles que, quase sempre, nadam de acordo com a corrente. Contudo, se a cada semana, um desses desatentos se sentir - realmente - despertado para o rico universo do samba: ÓTIMO! Quanto aos outros, são apenas seguidores das tendências da estação. No mais, PARABÉNS pelo blog, pela bela voz e pela consciência de que o samba em Minas Gerais tem muita história e está aí, para quem quiser enxergar além das vitrines.
Abraço e sucesso,
Fred

Aline Calixto disse...

Fred,
assino embaixo do que você colocou. No meio do joio, sempre existirão boas sementes que podem vigorar e gerar bons frutos!
Sigamos em frente, é de gente como você que nosso samba carece!

Anônimo disse...

Maravilha Aline, achei maravilhosa suas palavras, voçe poderia conhecer aqui em BH, um compositor de muita qualidade, chama-se Cabral, acho que ele pode dar muito certo com voçe, pois ele sempre teve grandes projetos em BH, e é um divulgador de grandes compositores do Rio de Janeiro, pessoa de muita inteligencia e boa indole além de ser um exelente musico como voçe, desejo muito sucesso em sua carreira, grande beijo.
Priscila Almeida